As fases de um negócio

Quem deseja ser dono de um negócio próprio seja ele pequeno médio ou grande precisa entender que, um negócio é composto por três fases que começa na infância passa pela adolescência e vai até a maturidade podendo morrer em qualquer uma dessas fases.

A Infância

É a fase em que das três personalidade que estudamos na lição anterior, a que atua é a do operário. Nessa fase o negócio opera de acordo com o que o proprietário quer em vez de o que o negócio precisa. E o que o operário quer é apenas um lugar para trabalhar, e isso pode determinar o fracasso do negócio.

Nessa fase de infância não se enxerga o futuro, tudo é romantismo, tudo é esperança. Nessa fase se faz o trabalho que se sabe e o que não se sabe fazer também. Durante a infância o “empreendedor” é um malabarista mantendo todas as argolas no ar.

É fácil perceber o negócio nessa fase. O proprietário e o negócio são a mesma coisa. Sem o dono, o negócio não anda. O dono faz de tudo um pouco. A empresa é a sua vida. O cliente e o proprietário são amigos, e continuam assim até que o dono já não consegue controlar o bom atendimento e qualidade.

O malabarista já não consegue controlar todas as argolas. O tempo de trabalho aumenta e o dono já percebe que precisa de ajuda para gerenciar o negócio.

Enquanto o futuro vai ficando para trás por falta de trabalho estratégico, o dono está fazendo o trabalho técnico e operacional.

Nesta fase, a personalidade empreendedora já não existe mais. Na infância de um negócio, não se pensa em futuro, somente no presente, no que precisa ser feito agora.

Como não existe um planejamento estratégico, o desafio é sempre o planejamento operacional. Desta forma a empresa vai sobrevivendo, mas sem visualizar o caminho que está sendo trilhado.

O maior problema é que a maioria das pequenas e médias empresas ficam nessa fase por anos. O que caracteriza um tipo de doença. É o que diríamos se encontrássemos uma pessoa na fase da infância a mais de 15 anos. Diríamos que algo de errado estaria acontecendo com  saúde dessa pessoa. O mesmo podemos dizer de um negócio que a mais de 15 anos encontra-se na fase da infância. Infelizmente é o que acontece com a maioria das pequenas e médias empresas na fase da infância.

A Adolescência

A fase da adolescência é caracterizada pela consciência do proprietário do negócio ao admitir e entender que algo está errado em seu negócio.

A adolescência começa num determinado ponto de vida do seu negócio quando você decide procurar ajuda. Não há como saber o quão logo isso acontecerá, mas sempre acontece precipitado por uma crise no estágio de infância. Todo negócio que dura deve crescer para a fase da adolescência. Todo negócio que sobrevive procura ajuda.

E que tipo de ajuda você o operário sobrecarregado procura? A resposta é tão fácil quanto inevitável. Ajuda tática. Geralmente uma consultoria ou uma pessoa para gerenciar o negócio.

Alguém com experiência de um gerente. Alguém com experiência no seu tipo de negócio. Alguém que saiba como fazer o trabalho tático que não está sendo feito. Normalmente o trabalho que você não gosta de fazer.

A pessoa que prefere vendas procura alguém para trabalhar na produção e vice-versa. Quase todos tentam encontrar alguém para fazer a parte contábil e financeira. Porque, se existe algo que a maioria dos donos de pequenos negócios odeia fazer, e também ignorar, é o financeiro.

Então você contrata um financeiro experiente para tirar este grande peso de suas costas. E na maioria dos casos ele resolve momentaneamente seu problema. Eu disse, momentaneamente. Pois um dia este gerente poderá ir embora. E quando isso acontecer, você terá que voltar a equilibrar as argolas ou desesperadamente encontrar alguém que faça o que somente ele sabia fazer.

Esse é apenas o início de um processo que acontece em todo negócio adolescente com gerenciamento por renúncia do proprietário.

Esse é apenas o começo de um processo no qual as argolas começam a cair mais rapidamente e com maior frequência do que nunca, quando você estava fazendo tudo sozinho.

E à medida que a tonelada de argolas vão caindo, começam a lhe incomodar e então você percebe que nunca deveria ter confiado em ninguém. Você deveria ter previsto isso. Você começa a perceber que ninguém se importa para seu negócio da maneira que você se importa. 

Que ninguém está disposto a trabalhar tão duro quanto você trabalhava que ninguém tem seu senso crítico, ou sua habilidade, ou seu desejo, ou seu interesse.

Se for para ser feito da maneira correta, você terá que fazê-lo. Então você retorna para seu negócio para ser o malabarista novamente. Ou seja, pode voltar a fase da infância novamente.

Fazendo tudo que tem que ser feito, mesmo tendo pessoas que deveriam estar fazendo para você. pessoas que você está pagando para fazê-lo. E o pior é que quanto mais você faz, menos eles fazem. E quanto menos eles fazem mais você sabe que se é para ser feito, você terá que fazer por si mesmo.

Então você interfere no que eles devem fazer ainda mais. Você simplesmente não sabe fazer de outra maneira. Você está perdido, sem esperança e sem ajuda. Para você se comportar diferente, você precisa acordar a personalidade que está adormecida em você há um tempo. Um longo tempo. Precisa trazer de volta a personalidade do empreendedor que covardemente o abandonou.

A Maturidade

A maturidade não é o resultado das duas primeiras fases, não é o terceiro estado de um processo em série. Digo isso porque se você quiser e tiver entendimento para isso, pode abrir um negócio já na fase da maturidade.

As grandes empresas não se tornaram empresas maduras, elas já começaram dessa forma, pois houve sempre a perspectiva de crescimento sustentado. Já nasceram organizadas.

Mas a empresa madura também pode passar pela infância e a adolescência, mas passa por essas fases de uma forma diferente e rápida. É o que pode acontecer com a sua empresa. Seu negócio pode estar na fase da infância ou adolescência.

Na maturidade, o empresário preocupa-se com a forma como o negócio vai funcionar. Visualiza estrategicamente o futuro. Por sua vez, o operário está mais preocupado com o trabalho que deve ser feito. O empreendedor procura o lucro. O operário pensa em rendimento. O empreendedor define o futuro e planeja os passos para alcançá-lo. O operário vive o presente e receia o futuro incerto.

A missão de um empresário é preparar o seu negócio para o crescimento. Preparar-se para à medida que a sua empresa cresce, desenvolver fundações e uma estrutura para suportarem a carga adicional.

É na maturidade que cada empresário define o ritmo de crescimento do seu negócio, compreendendo os processos chaves que precisam ser executados, os principais objetivos, que devem ser alcançados, e o posicionamento que pretende no mercado. E deve escrevê-lo, claramente, para que os outros os possam conhecer.

Se você não entender o seu próprio negócio, você não é dono dele!

Você precisa ter uma imagem clara de como a empresa ficará no futuro.

A menos que se atue desta forma desde o início, será mais difícil chegar lá.

Para seu negócio se tornar em uma grande empresa, terá de agir como uma grande empresa muito antes de ser.

Compartilhe!